Quem nunca conversou com alguém que sempre quer impor a sua opinião e não aceita estar errado? Alguém que discute por qualquer coisa, que não quer ouvir o que os outros têm a dizer e que nunca muda de ideia. No entanto, quer sempre dizer para os outros o que é o certo e como eles devem fazer as coisas.

Ter o orgulho ferido e querer se impor numa ocasião específica é diferente de ter um comportamento obsessivo. Aqueles que não conseguem agir de outra maneira e querem sempre se mostrar certos para os outro podem estar sofrendo com a sofomania.

A palavra sofomania, do sofo relacionado ao saber e mania relacionada a um hábito repetitivo, se refere a um transtorno no qual uma pessoa se passa por sábio e intelectual. A pessoa com sofomania emite uma opinião com base apenas nos seus pensamentos, sem necessidade de qualquer embasamento.

Para o sofomaníaco não há limites para os assuntos que ele pode emitir suas opiniões. Eles não aceitam a possibilidade de estarem errados, nem aceitam opiniões diferentes das suas. Existe uma confiança de que possuem o melhor entendimento, é como se não pudessem estar errados. 

 

O QUE HÁ POR TRÁS DESSA CERTEZA TODA

 

O indivíduo que sofre com a sofomania quer sempre dar a última palavra e mostrar que está certo. Este sentimento de querer estar sempre certo é como uma necessidade, do contrário, o sofomaníaco teria sua autoconfiança abalada.

Toda essa necessidade de estar certo também pode guardar uma grande necessidade de aceitação. Estar certo, saber das coisas, é uma forma de ser notado e respeitado pelas pessoas. Dessa forma, estar errado em algum momento significa perder importância, ser deixado de lado, não ser notado e valorizado pelos outros.

As pessoas não criam essa necessidade de saberem de tudo de repente. Isso é algo que vai se formando ao longo de suas vidas. Cria-se um mecanismo de autopreservação para que a pessoa se sinta confiante e até superior aos outros. Ao se sentir melhor de alguma forma, os outros não teriam condições de lhe confrontar.

Essa mania de estar sempre certo é movida por um instinto de autodefesa, de preservar sua importância e aceitação perante as outras pessoas, de fazer parte de um grupo. Por ser algo tão instintivo, fica difícil lidar com as mudanças de humor e temperamento. Uma simples conversa com um sofomaníaco pode logo virar uma fervorosa discussão.

Quem tem a infelicidade de entrar numa discussão com alguém com sofomania pode acabar perdendo a paciência e chegar ao ponto de transformar o que era uma simples conversa numa discussão repleta de ataques e até agressões.

 

COMO LIDAR COM QUEM TEM SOFOMANIA

 

Quem tem sofomania não questiona suas convicções, pois isto poderia impor uma mudança de crença, uma situação em que ele estaria diante do fato de que está errado a respeito de algo. Se lidar com o erro já pode ser algo difícil para a maioria das pessoas, para o sofomaníaco é algo inaceitável.

Confrontar as suas limitações e a possibilidade de estar errado faria com que aquele que sofre com a sofomania perdesse o chão. Pois, sua crença é de que toda a sua relevância social e aceitação dependem dele se sobressair estando sempre certo, de ser superior aos outros de alguma forma.

Ao tentar confrontar alguém que acha que sabe tudo ou tentar fazê-lo entender que está errado num debate você perceberá que não irá sair do lugar e o desgaste será proporcional a insistência.

O sofomaníaco poderá ainda desistir da conversa por acreditar que não há como a outra parte entender a verdade e que se o outro não aceita, pior para ele. É um sentimento de que o outro é inocente ou não tem condições de acompanhar o seu raciocínio.

Paciência e compreensão são as palavras-chave para lidar com pessoas que sofrem com a sofomania. Tentar entender que o outro, geralmente, não tem consciência da situação que se encontra e que por trás de toda a pose de sabichão pode estar alguém bastante fragilizado.

Nem todos terão a paciência e compreensão necessários para lidar com um sofomaníaco, ou mesmo, conseguirão se manter assim em todos os momentos. Por isso, é importante se acostumar a ter sempre conversas leves e descontraídas com pessoas nessas condições.

Uma conversa franca onde você delimita certos assuntos que não deseja conversar ou deixa claro seus limites poderá ajudar bastante. Se a situação realmente se mostra incontornável manter o silêncio ou se manter a distância pode ser a melhor saída.

 

COMO AJUDAR QUEM SOFRE COM A SOFOMANIA

 

Talvez o maior desafio para que alguém que sofre com sofomania comece a modificar seu comportamento seja essa pessoa se dar conta e aceitar a condição na qual se encontra.

Aquele que sofre com a sofomania não se dá conta da forma que age e, mesmo que tenha consciência de que tem algum excesso em suas falas e posicionamentos, acaba se deixando levar pelos impulsos que surgem da autoconfiança abalada.

É preciso respeitar os limites e as características dessa pessoa e tentar criar um ambiente no qual ela se sinta confortável para errar sem ser julgada, diminuída ou ridicularizada. Também é importante valorizar essa pessoa, não por ela saber algo ou por ser perfeita de alguma forma, mas por ser quem ela é.

Diminuindo a resistência de quem sofre com a sofomania em relação a se abrir para o novo é possível começar a exercitar com ela a tolerância ao erro. Se desafiar em pequenas coisas e se permitir errar sem culpa. Entender que o erro nos ensina muito e nos permite evoluir.

A ideia é que com o tempo a pessoa se sinta mais segura e perceba que não precisa estar sempre dando opinião em todas as conversas e mostrando que sabe das coisas. Que ela pode se abrir para aprender coisas novas e ser aceitar do jeito que é.

Um profissional de saúde mental pode ajudar nesse processo, especialmente quando se percebe comportamentos mais problemáticos como mudanças repentinas de humor ou tendência a agressividade.

Se manter calmo e ter paciência para que a pessoa se sinta segura e perceba a situação em que se encontra irá fazer a diferença. Para obter melhores resultados é fundamental que a pessoa aceite buscar a melhoria de sua condição.

Rodrigo Poiesis