Acredito que todo mundo, em algum momento da vida, já se perguntou qual o sentido da vida? É uma pergunta profunda, talvez uma das mais profundas que o ser humano pode fazer durante sua vida. Pense, isso é algo tão complexo de se responder que é normal que se fuja da discussão do assunto e quem ouse perguntar uma coisa dessas chegaria a ser até motivo de piada ou desdém.

Existem aqueles que ousam se questionar de assuntos mais profundos, mesmo que numa longa conversa de bar. Para responder a isso é comum que as pessoas recorram as religiões, que tratam de assuntos que são mais abstratos e desconhecidos para nós. A partir de tantas respostas que podem surgir vem outra questão – qual resposta é a correta?

Se você que está lendo este texto está pensando que eu vou te dar (ou tenho a pretensão de achar que sei) a resposta correta, você está errado, ou melhor, parcialmente errado. O que eu quero lhe dizer é que quem tem a resposta correta para essa pergunta é você.

Opa! Como assim?

 

É isso mesmo! O que quero dizer é que, independente da resposta de um criador da vida e do universo (considerando que existe uma motivação para esta criação e nossa existência), cada um de nós tem sua própria resposta. Para uns o sentido da vida pode ser descobrir novas formas de vida, desvendar o universo, fazer o bem ao próximo, etc. Algo que vai muito além de objetivos de vida, mas é algo que faz você sentir que a vida vale a pena. Aquilo que te motiva a fazer mais e ser melhor a cada dia.

Um fato interessante: muitas pessoas têm tudo na vida, ao menos tudo que se pode imaginar para ter, não passam qualquer dificuldade, mas sentem sua vida vazia, sem muito sentido. É o que acontece quando nos falta essa essência, essa motivação construtiva que nos move por algo maior que nós mesmos. Podemos passar uma vida toda buscando bens materiais, romances e destaque social, mas se não tivermos nosso sentido da vida estaremos como aqueles que tem tudo e se sentem vazios.

 

 

Quais valores trago dentro do peito?

Para onde eles irão me levar?

Será o local aonde quero estar?

Tantas perguntas que ficam no ar…

 

Quem não quer ficar a esmo

Não pode fugir de si mesmo,

Pois as respostas estão lá,

Esperando para lhe acalentar.

Rodrigo Poiesis