Procrastinar ou não, eis a questão.

Tanto faz, como tanto fez,

Tudo que sei é que muito me falta saber.

 

Nas incertezas do amanhã,

Deixo o hoje em expectativa

Aguardando o derradeiro dia

Em que mudarei de vida.

 

O ato de procrastinar, em sua definição está relacionado ao deixar para amanhã, ao adiamento daquilo que temos para fazer. A procrastinação é algo que está sempre a espreita, são diversas as ocasiões que nos encontramos cercados por diferentes informações, meios de comunicações e opções de entretenimento. São diversas também as tarefas e compromissos que nos cercam, para crescer e prosperar é preciso empreender um esforço que, geralmente, está além daquele que gostaríamos de dispender com os afazeres “obrigatórios”.

Tudo o que temos para fazer, tudo o que gostaríamos de fazer, tudo o que temos a disposição para fazer e a escolha daquilo que iremos fazer em cada momento. Ufa! Dá até um cansaço só de pensar… Se você já parou para ouvir seus próprios pensamentos, em algum momento deve ter ouvido (sentido) um poxa, bem que as coisas poderiam ser mais simples. Claro que um pensamento desses não tem muito espaço na sua vida e no meio do turbilhão de coisas que você tem que enfrentar a cada dia e acaba se perdendo, assim como tantos outros pensamentos de reflexão.

Acredito que, como tudo na vida, precisamos encontrar o caminho do meio, do equilíbrio. Temos que ter os olhos no futuro, em nossos objetivos que estão a frente e trabalhar por eles, mas também temos que ter um tempo para “desligar” do mundo. Um procrastinar consciente, que, quando devidamente organizado, não é mais um procrastinar, mas um tempo para você mesmo. Muitas pessoas às vezes não encontram tempo nos seus dias para coisas pequenas como admirar uma paisagem por onde passam ou sentir o sabor do café que tomam. Pode parecer exagero, mas os menores prazeres da rotina são desprezados e tomados como obrigação. Passam despercebidos e desvalorizados.

Imagine alguém que não gosta do seu trabalho e acorda todo dia cedo para trabalhar. Acorda, toma banho, verifica as mensagens no celular, toma café da manhã, percorre o trajeto até o trabalho, cumprimenta os colegas de trabalho e vai para o seu espaço de trabalho focado naquilo que tem para fazer. Me pergunto em quantos desses momentos esta pessoa teve a cabeça naquilo que estava realmente fazendo? Quando acordou, realmente estava preocupado em despertar seu corpo, em desejar a si mesmo um bom dia. No banho, no café da manhã, sentia realmente o sabor daquilo que comia e se sentia bem no momento da refeição, enfim, cada momento é uma história, um pequeno encaixe na grande engrenagem que movimenta nossas vidas.

 

O que quero dizer com isto é que temos a mente tão focada nas nossas obrigações, naquilo que acreditamos que realmente vale a pena, que deixamos de viver muito de nossas vidas. A procrastinação se torna uma fuga das atividades que somos “obrigados” a fazer, um descanso para mente, um botão de pausa no nosso dia. Este fato em si não é problemático por si só, o problema é isso acontecer em meio a uma tarefa importante, ao cumprimento de prazos ou qualquer compromisso que tenhamos.  Considerando que essas pausas (pequenos momentos de bem-estar e relaxamento) são necessárias à nossa rotina, acredito que encarar a situação da seguinte forma pode nos ajudar:

  • Prestar atenção em tudo o que fazemos a cada momento (ter a cabeça no momento presente).
  • Valorizar os pequenos momentos do dia – respirar fundo se se sentir bem e agradecido nas ações que praticamos.
  • Determinar tarefas tem maior prioridade e verificar se realmente são necessárias.
  • Organizar no decorrer do nosso dia (colocar na agenda se preciso), pequenos períodos de pausa para fazer algo que dê prazer.

 

Assim você retornará renovado de cada tarefa que estiver fazendo. Note que a procrastinação acontece quando você se perde fazendo algo que lhe desgasta muito. Desta forma, você deixa de lutar contra a procrastinação como um inimigo cruel que lhe coloca entre a escolha do prazer e bem-estar e as obrigações que tem para fazer. Abrece os pequenos momentos de pausa na rotina e os deistribua durante o dia de forma consciente, melhore sua produtividade, tomando mais consciência do que faz e se sinta de bem com a vida. Leia também 5 Dicas práticas para organizar seu tempo com flexibilidade.

 

Infográfico - Procrastinação

Rodrigo