Uma frase comum e carregada de sentimentos que todo mundo já pensou em algum momento da vida é: o que estou fazendo de errado? Para alguns esse questionamento pode ser algo que aconteceu numa situação específica, mas para muitas pessoas, se questionar a respeito do que faz de errado é uma constante.

Ter que estar sempre certo e não se permitir errar é um grande desafio para qualquer pessoa e pode ser um impeditivo para se fazer várias coisas. Pior que isso é lidar com a sensação de que nada dá certo e se sentir fracassando repetidamente. Isso derruba qualquer perspectiva de alcançar o sucesso e se sentir vitorioso.

Do ponto de vista de quem não se sente confiante consigo pode parecer uma ilusão, mas a verdade é que é possível mudar a forma como se sente e obter resultados muito melhores. Não se trata de mágica ou receitas milagrosas, mas se entender melhor e fazer melhores escolhas.

 

NÃO SEJA VÍTIMA DA SITUAÇÃO

 

Sentir-se o último dos coitados, aquele que faz tudo errado e não tem mais jeito na vida. Acreditar que um erro é o fim de tudo ou que não serve para nada. São pensamentos como esses que reforçam o mal-estar de errar e alimentam uma imagem depreciativa de si mesmo.

Quem quer ser o coitado da história é quem não quer fazer nada para mudar. Quer se manter no comodismo à espera de que outros façam algo por ele. Quem age assim quer gerar o sentimento de pena nos outros para que venham salvá-lo.

Lembre-se de que você é a pessoa que mais pode fazer algo por você mesmo. Quando um pensamento vitimista surgir não o alimente, pois não irá gerar nada de bom. Ao contrário, busque focar seus pensamentos em atitudes positivas e que podem gerar um resultado positivo.

 

O DESAFIO DE SER VOCÊ MESMO

 

Um dos maiores desafios das pessoas é o de se aceitar como é e conviver de forma autêntica na sociedade. Esse é o maior impeditivo para se tomar boas decisões. Isso acontece porque, a partir do momento que você tenta ser algo que não é, suas escolhas geram resultados que te conduzem por caminhos que não lhe fazem bem.

Se aceitar e fazer escolhas que tenham a ver com você é apenas uma parte do caminho para começar a acertar nas suas escolhas. Outra dificuldade que é preciso lidar é com a falta de conhecimento sobre si mesmo. Para isso, o autoconhecimento é o seu grande aliado.

Na busca pelo autoconhecimento cada pessoa acaba encontrando um caminho próprio. A internet tem muito conteúdo sobre o tema. Livros e palestras também são boas opções. Para quem quer melhor orientação e aprofundamento no assunto o trabalho de coaches, psicólogos e terapeutas com foco no autoconhecimento pode ajudar muito.

 

ERRAR NÃO É O FIM

 

Um tema que costumo comentar bastante é sobre o erro. Porque o errar é algo muito comum e as pessoas lidam muito mal com o erro. Claro que ter um resultado que não é benéfico ou que não dê retorno pode ser bastante frustrante. Quando se fala em lidar com o erro não se quer dizer aceitar o que vier e fingir que está tudo bem.

Conseguir lidar com o erro se trata de entender que o erro faz parte da trajetória de vida de qualquer um. Lidar bem com o erro é saber que é algo natural e que é possível aprender e crescer muito com cada erro.

Da próxima vez que você pensar o que estou fazendo de errado e se sentir desesperado, respire fundo e faça uma pausa para refletir.  Procure entender se este erro é reversível e, se for algo persistente, se suas escolhas estão sendo baseadas no que lhe faz bem de verdade.

Esteja atento também para a parte mais importante num erro, que é entender o que você pode aprender com ele. Cada erro, por menor que seja, guarda valiosas lições. Não existe sensação de algo feito em vão ou trabalho perdido quando você consegue aprender verdadeiramente com um erro.

 

ADAPTAR-SE É PRECISO

 

Quando atingir o ponto de lidar naturalmente com os erros, você conseguirá fazer dos erros grandes impulsionadores do seu desenvolvimento pessoal a medida que aprende com eles.  Os erros acabam lhe ajudando a tomar melhores decisões à medida que se tornam indicadores de quais caminhos não tomar.

Ao deixar de se martirizar e começar a enxergar o erro como oportunidade de aprendizado e crescimento (não como o fim da linha), você começa a transformar algo que tinha uma perspectiva negativa em algo que pode gerar um resultado positivo.

Não ser refém das circunstâncias, ao contrário, fazer de cada situação uma oportunidade é característica das pessoas que conseguem se adaptar bem as mudanças. Você pode desenvolver melhor essa capacidade com o tempo, mas o fundamental é que tenha força de vontade e persistência para transformar cada situação.

 

TRANSFORMANDO O RUIM EM BOM

 

Para quem costuma se questionar o que está fazendo de errado o recomeço pode ser visto como algo penoso e até derrotista. Pode ser que você começou um grande projeto, mas chegou em determinado ponto em que tomou decisões que se mostraram erradas. Para resolver a situação você pode ter que iniciar o projeto novamente.

A partir do ponto em que percebe que tem que começar tudo de novo você pode encarar a situação por dois ângulos basicamente. O primeiro é negativo e ocorre quando você se revolta, sente-se como vítima, procura alguém para jogar a culpa ou acha que nada mais tem solução.

O segundo é positivo e acontece quando não se perde o foco dos objetivos e procura novas formas de alcança-los. É a situação em que se faz do erro um aprendizado e o utiliza para maximizar as chances de acerto quando retomar o projeto.

É importante estar ciente de que você sempre terá diferentes escolhas nas mãos e que o sucesso de uma jornada não se dá apenas no momento dos resultados ou pela conquista de algo. O sucesso faz parte de cada passo de uma caminhada em direção a um objetivo. Saber vivenciá-lo desde já é o grande segredo para alcançá-lo.

 

O que estou fazendo de errado - Infografico

 

ILUSÃO DE VENCEDOR

 

Os acertos parecem erros.

Estou nesse jogo há tempo,

Mas ainda estou distante do prêmio.

 

A sede de vencer

Não me deixou perceber

O que eu tinha a perder.

 

Nesse jogo sem fim

Não é permitido falhar.

 

O tropeço pede um recomeço,

Uma máscara para me adaptar.

Não posso olhar para trás.

 

Ouço alguém chamar.

Esse nome desconhecido

É tão familiar para mim.

 

As janelas estão abertas

O frio é paralisante.

Não posso mais prosseguir.

 

Por muito tempo eu tentei.

Apostei as minhas fichas

Numa roleta distorcida.

 

Admitir a derrota

Foi minha maior vitória.

 

O atalho para a conquista

Seduz os confiantes

E embriaga os desatentos

 

Belas palavras ao vento

Logo caem no esquecimento.

Fazer é melhor que falar.

Rodrigo Poiesis