MANTER-SE OCUPADO

MANTER-SE OCUPADO

O que fazemos quando não estamos fazendo nada?

 

A vida é feita de movimento, nada está realmente estático, mas ao que se refere as nossas tarefas e atividades diárias podemos nos considerar parados quando não estamos produzindo nada. O repouso é benéfico e necessário para que possamos repor nossas energias e estarmos aptos a novas atividades. É comum deixarmos o descanso acontecer após alguma tarefa que nos custe considerável gasto de energia. Mas o que ocorre se passamos tempo demais sem exercer alguma atividade?

 

Quando o corpo não está sendo o protagonista de algum momento realizando algum tipo de atividade é normal que a mente tome esse espaço e nos leve as mais variadas reflexões. Das mais simples como quem deixou algo fora do lugar como pensamentos mais complexos como qual o sentido da vida. Quanto mais nos envolvemos no mundo das reflexões mais questionamentos surgem e, muitas vezes, não encontramos respostas para eles. Isso abre espaço para um certo tipo de agonia que cresce dentro da gente e nos faz sentir perdidos.

 

Para fugir dessas sensações aflitivas que podemos vir a sentir em meio a reflexões e estados em que a mente fica vagando por pensamentos aleatórios costumamos recorrer as atividades diárias, procuramos nos ocupar, é como diz a frase: mente vazia, oficina do diabo. Mas será que as reflexões que temos não são um tipo de ocupação? Por nos causar algum desconforto e não termos respostas imediatas acabamos interpretando as reflexões como algo prejudicial.

 

Nossa mente é parte de nós, parte muito importante, que costumamos deixar de lado quando a utilizamos apenas para cumprir tarefas intelectuais e não interiorizamos a nossa própria existência. Preferimos agir como autômatos repetindo ciclos e buscando apenas a satisfação (uma felicidade idealizada) que é momentânea, portanto, estamos sempre atrás disso. É uma lógica que remete ao burro que se movimenta incentivado pela cenoura que está a sua frente. Corremos atrás da satisfação e fugimos do que nos parece desagradável. Essa forma instintiva de viver serve muito bem aos animais, mas para nós é limitada.

 

A reflexão é uma ação como qualquer outra, só não é física, se passa no campo mental. Como qualquer outra ação pode gerar resultados bons ou ruins, para que consigamos obter benefícios dela precisamos tomar alguns cuidados. Quando vamos trabalhar numa oficina ou num escritório precisamos de limpeza, organização e objetivo quanto aquilo que vamos fazer. Quando nos envolvemos em reflexões não é diferente, precisamos de clareza mental, um ambiente mental sem poluição (pensamentos desordenados) e ter foco em relação ao que estamos pensando.

 

É normal que no começo seja mais difícil de encontrar o foco e manter os pensamentos ordenados, mas como toda atividade é aprimorada com a prática. As reflexões poderão fazer parte da sua rotina em momentos que precisar compreender melhor algo ou quiser conversar com você mesmo e seus sentimentos. Com o tempo você poderá lidar melhor com o que sente e também com seus objetivos de vida. Entender o que realmente faz sentido para você e aquilo que te impede de ser feliz.

 

 

A mente se tornou tempestade.

Trovões ribombando sem cessar,

Escuridão que nubla a visão,

Quase não há orientação.

 

Sair correndo daqui

Ou procurar abrigo?

 

O que se pode fazer

Para sair desse lugar?

Para encontrar dias de sol

E continuar a caminhar.

 

Talvez não precise fugir

E possa apenas… me molhar.


Veja o infográfico


 

Gostou? Compartilhe o texto pelas redes sociais :)