Todo dia é diferente, não há repetições na vida, por mais que hajam semelhanças e as pessoas sigam padrões, tudo está em constante mudança. O que acontece é que não percebemos. Geralmente muito sutis, as incertezas estão por todo lugar. Descobrir como reagir ao inesperado é também aprender a viver.

Pode parecer estranho pensar que alguém, especialmente depois de um bom tempo de vida, precise aprender a viver. Mas isso tem sentido se diferenciarmos o comportamento de sobreviver do viver. As pessoas que estão mais envolvidas com um padrão de vida no modo de sobrevivência sofrem mais com as incertezas.

 

VIVER OU SOBREVIVER

 

É possível dizer que temos dois nascimentos durante a vida. O primeiro é físico, acontece no momento do parto e nos coloca no mundo com nossos instintos direcionados a nos manter vivos. Para muitos, viver apenas buscando sobreviver é o padrão de uma vida toda.

O segundo nascimento não tem data marcada para acontecer e pode surgir em qualquer fase da vida. É o despertar para a vida, perceber que existe muito mais além da sobrevivência. É o momento quando os princípios básicos da vida como crescer, estudar, trabalhar, formar família, etc. não são mais suficientes para preencher a pessoa.

Você não sabe se está vivendo ou apenas sobrevivendo? Pense sobre aquilo que vem fazendo. Quem apenas sobrevive trabalha somente porque tem que pagar as contas, se pudesse não estaria trabalhando. Aquele que vive gosta do que faz, mesmo que não seja o trabalho dos sonhos, trabalha porque isso lhe proporciona algo que vai além da remuneração.

Aquele que sobrevive tem um grupo de amigos para sair e celebrar bons momentos. Pode ser que tenha muitos “amigos”, para ele a amizade é uma forma de se sentir animado e suportar as coisas que faz na vida para sobreviver.

Quem vive percebe as pessoas de forma mais profunda e não resume as amizades a momentos de diversão. Entendem que ligações entre pessoas são raras e que o verdadeiro valor da amizade está no compartilhar e na contribuição mútua.

É possível enumerar vários exemplos, mas a questão fundamental que difere aquele que vive em relação aquele que sobrevive é a profundidade com que percebe as coisas. O primeiro percebe que há mais do que sobreviver e começa a ter que assumir novas escolhas e buscar novos caminhos. Enquanto o que sobrevive se mantém vivendo no piloto automático.

 

QUANDO O INESPERADO ACONTECE

 

Como disse antes as incertezas estão por todo lado, enquanto elas não impactarem a sua rotina, você não irá percebê-las ou não irá se incomodar com elas. É no momento em que as incertezas se tornam grandes a ponto de atrapalhar o seu dia a dia que surge o mal-estar e você quer saber como lidar com o inesperado.

Perceba que o lidar com o inesperado é totalmente diferente para aquele que vive no modo de sobrevivência em relação ao que vive a vida com profundidade. Para o primeiro um inesperado de grandes proporções é como uma bomba que cai sobre ele e devasta o seu modo de vida.

Quem vive no piloto automático não está acostumado a ter que mudar o rumo da sua vida, fazer novas escolhas e a lidar com o novo. Por isso, relutam com o que está acontecendo, se colocam em pé de guerra, pois tudo que desejam é poder voltar a sua rotina.

Os que vivem estão mais acostumados a lidar com o novo. Isso não quer dizer que acontecimentos inesperados mais expressivos não irão abalar a pessoa. A questão é que aquele que vive irá lidar com a necessidade de fazer novas escolhas e redirecionar sua vida com mais naturalidade. Entende que isso é parte da vida.

 

O EU ATRAPALHA A PERCEPÇÃO DA VIDA

 

Para perceber a vida além da pura sobrevivência é preciso se libertar do eu. Isso quer dizer que quanto mais sua vida está centrada em você mesmo e suas necessidades, mais você estará vivendo no modo automático.

Se libertar de você mesmo te dá a possibilidade de olhar além daquilo que você quer e precisa para viver. Você começa a perceber novas possibilidades e a sentir um novo sopro de vida à medida que se conecta com o mundo ao seu redor.

Fazemos parte de um todo vibrante e em constante mudança, o mundo e tudo inserido nele é um grande organismo vivo que convive em harmonia. Enquanto você vive isoladamente para você mesmo e suas necessidades você está desalinhado dessa realidade, se sente perdido e gera sofrimento para si próprio.

Permita-se realizar novas conexões, entender seu espaço e seu valor diante do mundo. Ao olhar para o todo você pode se sentir pequeno e sem importância, mas isso é apenas o reflexo da grandeza do todo diante de você quando comparado a sua individualidade.

A medida que você se permite fluir junto ao todo e ser parte atuante do movimento da vida, você percebe que é parte de algo muito maior que você mesmo. Que você importa e pode fazer muito mais do que imaginava. A partir desse ponto as mudanças são constantes e a incerteza é entendida como parte da vida.

 

COMO LIDAR COM O INESPERADO

 

Pode ser que você começou a ler esse texto esperando encontrar maneiras de atenuar a raiva, o desânimo ou a revolta que podem vir à tona quando se lida com o inesperado. Isso pode ajudar, mas não resolve a situação. Não é minha intenção ajudar você a manter uma vida de avestruz, com a cabeça enterrada embaixo da terra.

Fingir que a vida é só sobrevivência é enganar a si próprio e fugir da realidade. Por quanto tempo você é capaz de fazer isso eu não sei, o que eu sei é que isso é como uma bola de neve. Quanto mais você espera para lidar com isso, maior se torna o problema.

Por isso, permita a você mesmo novas perspectivas. Permita-se fazer diferente do que fazia antes, sentir diferente do sentia antes. Pode ser que no começo você tenha receio e impulso de voltar para a sua rotina exatamente do jeitinho que era. Isso é normal, mas não é motivo para fugir.

Ninguém está dizendo que é preciso abraçar o mundo de uma vez. Ao contrário, siga seu ritmo e respeite suas limitações. Só não se acomode ou procure desculpas para não seguir adiante. Siga sempre em frente e confie no seu coração, ele tem todas as respostas.

Ao olhar para o mundo ao seu redor, buscar novos objetivos de vida e mudar sua rotina muita coisa pode mudar. Pessoas podem se afastar ou se aproximar, novas oportunidades surgirão e o que antes fazia todo o sentido, agora pode não fazer mais.

Não fique olhando para trás, a vida é vivida no hoje com os olhos direcionados para o futuro. Abrace e agradeça as novas descobertas e o potencial que as mudanças podem trazer para a sua vida. Confie no caminho que escolheu e saiba que você não está sozinho. Somos todos um nesse imenso oceano de descobertas e redescobertas que chamamos de vida.

 

Inesperado - Infográfico

Rodrigo Poiesis
Últimos posts por Rodrigo Poiesis (exibir todos)