É HORA DE PARAR DE CHORAR

Os dias muitas vezes parecem se repetir, nossas ações e os acontecimentos parecem se suceder como reprises as quais já sabemos como terminam. Isso pode ser bastante desmotivador, especialmente se estamos fazendo algo que não gostamos muito, alguma coisa que não combina conosco, mas fazemos porque temos que fazer. Nos alimentamos de um pouco de confiança na escolha desse caminho pensando que lá na frente, no futuro iremos colher os frutos de nosso esforço. Que lá será um bom momento e poderemos viver de verdade e nem lembraremos mais de tudo que passamos.

Nem sempre esperar e imaginar o dia em que poderemos ter a vida que queremos é suficiente para que nós nos sintamos bem pela situação em que estamos vivendo. Adicionalmente podem existir situações que nos deixem sentindo ainda mais sufocados do que não estar vivendo o que gostaríamos de viver. Na verdade, é natural que existam esses outros problemas e situações complexas que dificultam ainda mais suportar essa realidade em que vivemos. É uma reação em cadeia, aquilo que começou mais ou menos, que você foi empurrando com a barriga e, ao passar do tempo, foi buscando motivos para continuar parado e aceitando tudo vai gerando outras situações que não lhe fazem bem.

Afinal, se estamos vivendo em condições que não nos sentimos verdadeiramente felizes, então que tipo de resultados estaremos produzindo de algo que não nos faz bem? Mas se é tão lógico que vivendo e produzindo em condições que não são boas para nós temos como resultado mais situações problemáticas, por que então continuamos insistindo nisso? Por que esperamos colher maçãs se plantamos alface?

Essa falta de crença em si mesmo, esse medo estratosférico de errar, de sofrer, essa preguiça de agir e de pensar e seja lá qual outro bloqueio no qual nos apoiamos para não mudar, nos faz entrar numa realidade em que nos vemos como vítimas do destino, como pobres mortais sem poder ou sorte suficiente para mudar nossas vidas. Pessoas que reclamam mais do que agradecem, pessoas que enxergam na conquista dos outros sorte ou métodos sórdidos para chegar aonde chegaram. Crendo que o mundo é cruel e as chances são para poucos agraciados que se aproveitam dela para sobrepor aos outros e se destacarem.

Começamos reclamando de coisas pequenas, daquilo que está ao nosso redor, das pessoas e do comportamento delas. Maldizemos nossa própria vida e nosso destino, crendo que nada mudará para melhor e, se algo muda, já esperamos pelo pior em seguida. Como se a pessoa estivesse marcada para se dar mal, mas não percebe que o próprio padrão de pensamentos dela só enxerga situações ruins e esquece de viver o que é bom, mesmo tendo o bom na sua frente.

É hora de acordar para a vida e viver a vida da forma como gostaríamos que ela fosse vivida. É normal que a vida não esteja nas condições que sonhamos, mas a forma como encaramos ela, as opções que conseguimos enxergar quando temos fé em nós mesmos e em algo maior que nós, irá propiciar grandes mudanças ao longo do tempo. Comece trocando as reclamações por agradecimentos, comece prestando mais atenção as pessoas que estão ao seu redor e na forma com que elas encaram as próprias vidas e se pergunte: é assim que eu quero encarar minha vida? Que vida eu quero para mim? Estou vivendo de acordo com a vida que quero para mim?

Sua resposta será seu guia, pois quando descobrir que vida quer vivenciar você poderá começar a respirar ela e em cada ação do seu dia você estará construindo essa vida, em cada pequena conquista, por menor que seja, poderá agradecer, pois estará acumulando conquistas. Não se iluda, a sua vida feliz não será aquela que irá alcançar num determinado dia, a sua vida feliz é aquela que vive hoje. O que você quer no futuro para melhorar em sua vida é sua bússola, um guia que lhe indica o caminho a seguir. Mas a felicidade vive dentro de você e é respeitando suas vontades e sentimentos e vivenciando aquilo que te faz sentir vivo que você encontrará sua felicidade.

 

 

O café parece ter novo sabor,

Mas não é o café que mudou.

Tudo ao redor gira e se repete em ciclos.

Os sentidos nem sempre percebem

E se viciam no mesmo padrão.

 

A liberdade não tem relação com ir e vir.

O verdadeiro livramento é perceber,

Entender que tudo muda e nada é igual.

Que temos o poder de agir e construir.

 

Enquanto nos apoiamos em pequenas mentiras

As grandes verdades passam despercebidas

E os lamentos refletem nossa falta de percepção.

 

A mudança faz parte de nós,

Temos o poder de fazer diferente.

 

A vida pode ter novo sabor.


Veja o infográfico


 

Gostou? Compartilhe o texto pelas redes sociais :)