As relações de trabalho e os modelos de negócio estão em constante transformação. A sociedade vai se alterando e com ela muda a interação entre os consumidores e a tecnologia. São mudanças constantes que contrastam com a velha forma de se lidar com empregos, colaboradores e clientes.

Enquanto antigos paradigmas vão mudando muitos profissionais não acompanham essas mudanças. Lutam para manter um mesmo padrão e se incomodam e assustam com as possibilidades que surgem com o novo. É uma luta ingrata, pois é como lutar contra as forças da natureza e esperar que o mundo mude por sua vontade.

Na divisão entre aqueles que surfam as ondas das mudanças e os que tentam nadar contra a maré existe uma imensa distância percorrida entre um e outro. Os que acompanham as alterações que vão acontecendo e procuram se atualizar aproveitam as forças das marés para cobrirem distancias cada vez maiores. Enquanto os que resistem a mudar tentam se agarrar a posição que estão e quase ou nada se movimentam.

Cenário de mudanças requer adaptações

O grande diferencial daqueles que irão estar à frente no mercado de trabalho e nos negócios não são aqueles que aceitam tudo sem questionar ou os que lutam contra as mudanças. A palavra-chave aqui é adaptação, aqueles que melhor se adaptam são os que se destacam.

O ciclo de mudanças é constante, implacável e se torna cada vez mais rápido. Basta uma olhada na história da humanidade para constatar isso. Ser receptivo com o novo e desapegar do que ficou para trás será a grande habilidade das pessoas bem-sucedidas do futuro que já iniciamos.

Nesse mundo novo que estamos construindo são necessárias pessoas que interagem bem com outras pessoas, que entendem e sabem lidar com suas emoções. A tecnologia é base para a constante evolução da humanidade. Ficar apenas como espectador e não utilizar a tecnologia em seu favor é uma escolha que conduz a limitação.

Entender o que aqueles que se destacam já entenderam, que a inteligência emocional e as habilidades interpessoais caminham lado a lado com a tecnologia, é o ponto de virada para quem está perdido em meio a acelerada e implacável onda de mudanças que ocorrem no mundo.

 

 

A matéria original é da coluna do Flávio Augusto na Forbes

Rodrigo Poiesis