A FUGA

No último post comentei a respeito de pessoas que buscam no material aquilo que lhes falta no sentimental. É comum que ao longo da vida sintamos a falta de algo, geralmente algo que nem sabemos nomear, é um vazio que se sente e parece que vai te consumindo. A vida vai se tornando mais desgostosa e as coisas que fazemos vão perdendo o sentido e se tornando difíceis de fazer. Em momentos assim é comum que procuremos suprir isso com coisas materiais, seja com compras caras ou em quantidade excessiva, seja em momentos que temos dinheiro para isso ou não.

Quando esse ato de nos sentir bem adquirindo bens materiais se torna um hábito para que possamos nos sentir bem e seguir em frente, então estamos fugindo continuamente de algo que estamos sentindo. Mas a fuga não se limita ao ato de comprar, ela tem mil facetas e certamente já nos deparamos fazendo algo para fugir de um sentimento desagradável. As drogas são as maiores representantes deste ato de fugir de si mesmo, da própria realidade. O abuso de álcool, alimentação, a busca por adrenalina também distraem nossas mentes da ansiedade, tristeza e tantos medos que sentimos.

Isso é algo tão corriqueiro para todos nós que é tido como normal para a sociedade e muitas vezes passa despercebido. Somente quando alguém realmente se perde em vícios ou não consegue mais desempenhar suas obrigações na vida é que se considera que tem algum problema. Então o que mais deveria chamar a atenção em relação a essa fuga não é quando a situação se tornou tão complexa que a pessoa perdeu o rumo, mas quando ela ainda está tentando fingir que não tem nada de errado e procura subterfúgios para mascarar o que sente.

O dia a dia geralmente exige muito de nós e toma muito mais do que gostaríamos do nosso tempo. Não acredito que fazer certas coisas para nos sentirmos bem seja algo ruim, desde que não prejudique ninguém, é claro. Mas é importante que percebamos quando sentimos esse vazio, quando estamos fazendo repetidamente para fugir de algo que sentimos. Pois esse vazio não irá se preencher magicamente, isso que nos falta é algo que precisamos entender do que se trata e encarar de frente, porque a situação só irá se resolver quando lidarmos com ela.

Se fugirmos de nós mesmos nunca nos encontraremos e a felicidade não passará de um sonho inalcançável.


 

Gostou? Compartilhe o texto pelas redes sociais :)