Se parece que suas escolhas estão sempre equivocadas e você parece não sair do lugar as 5 Dicas de como fazer escolhas certas que vou lhe apresentar nesse artigo podem lhe ajudar. As pessoas costumam focar no resultado e esquecem as escolhas que o precedem. A medida que você vai fazendo escolhas sua vida vai se direcionando para um determinado caminho. Como eu comentei no texto Você costuma fazer escolhas ruins, é preciso ter consciência das suas escolhas. Só assim é possível você descobrir suas motivações e também direcionar usa vida para algo que seja bom para você.

Pode ser que você não entenda o motivo de fazer tantas escolhas erradas. Isso acontece porque as decisões geralmente são feitas sem muita reflexão ou consciência das nossas ações. Sejam elas geradas por puro instinto, por hábito ou por reações emocionais como euforia ou medo. Ao longo da sua vida suas experiências e a cultura em que está inserido vão moldando sua forma de perceber o mundo. Você vai criando realidades próprias, que podem estar bem distante do que é real de fato. Mas se a sua mente acredita em algo, aquilo é real para você.

 

PROGRAMAÇÕES MENTAIS

 

De acordo com suas vivências e percepções de tudo que acontece você vai programando a sua mente com informações que podem ser boas ou ruins. Como isso é feito quase sempre de forma inconsciente não dá para controlar as reações que essas programações irão despertar. Existem muitas programações mentais com crenças limitantes que restringem sua ação. Como resultado você acaba fazendo decisões com medo, desconfiança, raiva ou outros sentimentos, mesmo que não haja motivo para isso.

Para lidar com as programações mentais e as crenças limitantes é necessário um trabalho mais intenso de autoconhecimento, preferencialmente, acompanhado de um profissional que possa lhe orientar. Mas também há formas de lidar com as decisões usando nossa parte mais racional e analítica. As dicas que elaborei para este artigo são estruturadas dessa forma. Abaixo estão 5 dicas fundamentais para que você comece a fazer as melhores escolhas para você.

 

1 – ANÁLISE

 

Antes de qualquer coisa é preciso que você analise a situação em que está para poder identificar qual a melhor direção a seguir. Visualize seu momento atual e procure perceber se isso iria mudar com a decisão que está a sua frente. Se ela for mudar algo, essa mudança é boa ou ruim?  Em quais aspectos? Se ocasionar mudanças de direção na sua vida é importante que você perceba se essa direção está alinhada com os seus objetivos. Você não tem objetivos definidos? Se você está vivendo sem saber direito para onde vai leia o texto Objetivos de vida e defina seus objetivos.

Considerando que você já tem seus objetivos, de curto, médio e longo prazo, você poderá tomar sua decisão com o intuito de ficar mais próximo do que quer. Só não deixe de analisar que tipo de consequências essa decisão acarreta, ela atinge outras pessoas? De que forma? Se outra pessoa for impactada de forma positiva quem sabe vocês não podem trabalhar juntos para acelerar e potencializar os resultados. Se o impacto para os outros for negativo é preciso buscar contornar esses obstáculos para que ninguém seja prejudicado.

 

2 – INSPIRE-SE

 

Cada ser humano tem um caminho própria na vida, escolhas, consequências e experiências que juntas formam a história de vida de cada um. Porém, é bem improvável que alguém já não tenha feito uma escolha semelhante ou igual à sua. Seja em condições parecidas ou distintas da sua, a experiência de outra pessoa poderá lhe ajudar a fazer a escolha certa. Quanto mais pessoas encontrar que passaram por essa situação, mais informações você terá para tomar sua decisão. Se forem pessoas próximas que você puder conversar, melhor ainda.

É importante ter bastante atenção a uma coisa nessa fase de inspiração. Em qual tipo de pessoa você vai se inspirar? Não adianta basear a sua decisão nas decisões de pessoas as quais você não admira, que não quer seguir o mesmo caminho. Isso pode servir para você saber que decisão não tomar, mas não irá agregar em escolhas que te deixem mais próximo do seu objetivo. É preciso que você se inspire em pessoas que tem uma trajetória semelhante a que você tem ou deseja ter.

 

3 – OPINIÃO

 

As outras pessoas podem lhe ajudar não só com suas próprias experiências, mas também com suas opiniões. Ter outro ponto de vista da situação é muito valioso, pois costumamos ver a coisas de um ângulo muito fechado e centrado em nós mesmos. Quando acrescentamos o olhar externo de outra pessoa passamos a ampliar nossa visão e a escolha vai se tornando mais clara. Essa pessoa pode lhe apresentar novas possibilidades que você não havia pensado e também revelar aspectos que envolvem a decisão e você não estava percebendo.

Novamente é preciso de bastante atenção, pois você não vai querer pedir a opinião de alguém que não confia ou que não tenha nada a ver com você. Isso poderia atrapalhar tudo ao invés de ajudar. A opinião de uma pessoa pode ajudar bastante, mas é preciso que você converse com alguém que tenha afinidade com você e que você admire. Uma boa opção é se aconselhar com um profissional que esteja mais aberto a dar uma opinião isenta de pessoalidade. Seja um terapeuta, psicólogo, coach ou outro profissional que possa lhe ajudar na sua trajetória de autoconhecimento.

 

4 – ESFORÇO

 

O mundo está cheio de pessoas que querem reconhecimento, que querem ser promovidos no emprego, que querem um relacionamento perfeito, mas não se movimentam para que isso se torne realidade. São vários os exemplos de pessoas suspirando por não conseguirem colher os frutos daquilo que desejam, mesmo não tendo plantado nada para que esses frutos surgissem. Então, seja qual for a decisão que for tomar, para que ela se torne a escolha certa pode ser preciso bastante esforço.

Avalie a sua disposição e empenho em se esforçar para fazer da sua escolha a correta e também as possibilidades que dispõe para isso. Pode ser que sejam coisas simples, tudo vai depender da decisão que tem pela frente. Pense o quanto vale e também o quanto é necessário dispender de energia para que tudo transcorra da melhor forma. Pode ser que a melhor decisão seja simplesmente não fazer nada. Só não se deixe levar pelas armadilhas do comodismo ou da procrastinação (leia também o texto Procrastinação). Decidir se vale o esforço ou não deve sempre acompanhar seus objetivos.

 

5 – ESCOLHA

 

A quinta dica é uma chamada para a ação. Faça a sua escolha! Quando você tem uma escolha na sua frente é preciso agir. Não vale ficar em cima do muro esperando que outra pessoa decida por você. Viver pelas escolhas dos outros é como viver sem direção aceitando qualquer coisa que vier. Mas estou certo que você não é assim, você quer atingir seus objetivos, quer fazer as escolhas certas, então é necessário que faça uma escolha e se movimente para que isso aconteça.

Após fazer a sua escolha é essencial que a coloque em prática. As ideias precisam de ação para se tornarem realidade. O momento de refletir e decidir que direção tomar vai até o momento que você fez a sua escolha. Se ficar esperando o momento perfeito para entrar em ação esse momento pode nunca chegar. Se você tem dificuldades com essa situação leia o texto Feito é melhor que perfeito para lhe ajudar nessa etapa. Uma vez que você fez sua escolha e a colocou em prática é hora de se sentir bem por isso.

Não fique olhando para trás, pensando que poderia ter sido diferente ou que o momento não era aquele. Se você pensou bem naquilo que tinha para decidir e decidiu sendo sincero com seus valores, na direção daquilo que você quer alcançar, então saiba que você fez o seu melhor. Novas decisões chegarão logo e o importante é você viver bem cada dia. Ficar pensando no que passou ou no que pode vir a acontecer só te faz perder o momento atual. Seja feliz e sinta-se livre fazendo as suas próprias escolhas com consciência, essas certamente serão as escolhas certas para você.

 

Infográfico - 5 Dicas para fazer as escolhas certas

Rodrigo Poiesis
Últimos posts por Rodrigo Poiesis (exibir todos)